Início / Conteúdo / Imagens mostram agressões de marido a advogada que caiu do 4º andar

Imagens mostram agressões de marido a advogada que caiu do 4º andar

Momentos antes de cair do quarto andar do prédio onde morava, a advogada Tatiane Spitzner foi brutalmente agredida pelo marido, o professor e biólogo Luís Felipe Manvailer. O crime aconteceu no final de julho em Guarapuava, Paraná. A Polícia conseguiu imagens das câmeras de segurança do edifício que registraram os ataques.

Ambos de 29 anos, Tatiane e Luís Felipe chegaram ao local de carro e em meio a discussões. O vídeo mostra que, no estacionamento, o marido, mais agressivo, retira a mulher do veículo com violência.
  
As imagens mostram uma série de agressões desferidas por Manvailer, que se sucedem até o quarto andar do prédio. Até lá, a advogada tenta escapar diversas vezes, sendo impedida. Momentos seguintes as câmeras registraram o corpo de Tatiane caindo pela sacada do apartamento. 
  
Responsável pelo caso, o delegado Bruno Miranda Maciozek já havia comentado o teor dos vídeos, que, segundo ele, registram “agressões brutais” contra a vítima. Os golpes do professor se concentraram principalmente na região da cabeça da advogada.
  
Manvailer fugiu pelo estacionamento do prédio, horas depois da morte de Tatiane. Porém, quando tentava chegar à cidade de Foz do Iguaçu (RS), ele se envolveu em acidente de trânsito em São Miguel do Iguaçu, a 320 km de Guarapuava. Indícios apontam que o professor pretendia cruzar as fronteiras do Brasil com Argentina ou Paraguai. 

  

O homem negou que tenha empurrado Tatiane da sacada do apartamento e chegou a afirmar que ela teria se jogado, durante a discussão. Luís Felipe Manvailer está sendo indiciado por homicídio qualificado, por motivo torpe e meio cruel que não deu chance de defesa à vítima.
  
De acordo com o Portal G1 e a Folha de S. Paulo, o delegado Bruno Miranda tinha suspeitas de que Manvailer teria alterado as cenas do crime. O que foi confirmado pelas imagens internas. Após a advogada ter caído do prédio, Luís Felipe vai até o térreo e volta, carregando o corpo da advogada utilizando o elevador. Depois ele retorna para limpar vestígios de sangue deixados pelo trajeto.
  
O professor e biólogo Luís Felipe está sendo indiciado por roubar o carro da advogada para executar fuga e por feminicídio, que é o crime de ódio pelo fato de a vítima ser mulher.

Fonte: O Povo


Post original click aqui.


Veja também...

Relógios de computador e celulares se adiantam antes do horário de verão e viram meme nas redes

(foto: Justin Sullivan/AFP ) Quem ficou acordado at mais tarde nessa madrugada de domingo (21/10) …

Praia Grande abre inscrições para atividades artísticas gratuitas

A Escola Municipal Porto das Artes em Praia Grande, no litoral de São Paulo, abre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *